sábado, 24 de fevereiro de 2018

O Último Segredo do Templo - Paul Sussman - Review





O Último Segredo do Templo
Autor: Paul Sussman
Editora: Bertrand Editora
1ª Edição 









Yusuf Khalifa, inspector egípcio, é chamado para investigar a morte do velho  Piet Jansen, cujo corpo fora encontrado, sem vida, entre as ruínas do Vale dos Reis em Luxor.  Porém, no decorrer desta investigação, Khalifa começa a encontrar fortes ligações entre o homem assassinado e o primeiro caso em que trabalhara há 13 anos atrás, onde uma mulher judia fora brutalmente assassinada. 

Por seu lado, a jornalista Palestiniana Layla al-Madani, recebe uma enigmática carta, contendo uma fotocópia de um  documento elegível, de aspeto medieval, e uma proposta para que ajudasse o remetente da carta a encontrar Al-Mulatham, um dos maiores, mais ferozes e mais inacessíveis terroristas palestinianos. Em troca a carta prometia-lhe o furo jornalístico da sua carreira. 

Por fim, temos o polícia israelita Arieh Ben-Roi, que após perder a noiva num atendado palestiniano, perde  todo o interesse pela vida e pela sua profissão. De repente, Ben-Roi  vê-se envolvido a contragosto na investigação de um caso de assassinato de uma palestiniana, há 13 anos, no Egipto.

De que forma o caso da morte de Hannah Schlegel, pode estar relacionado com Piet Jansen?
Como se poderão cruzar os caminhos de um polícia muçulmano Egípcio, uma jornalista muçulmana palestiniana e um polícia judeu israelita?

Opinião

O enredo desta trama é extremamente rico em referências históricas e sociais, interligando factos como o holocausto nazi, e a atual situação vivida no médio oriente.
Através da história de uma investigação policial, viajamos pela história mundial de uma forma leve e descontraída.
No entanto, o livro conta também com momentos mais pesados e reflexivos, como no caso do conflito israelo/palestiniano. Ambas as perspetivas são expostas, como duas faces de uma mesma moeda. Para nós que temos a paz e a segurança, como um dado adquirido, é perturbador  quando somos colocados perante uma realidade tão dura, como a vivida por estas pessoas. É uma verdadeira lição de humanidade e humildade.

Trata-se de uma obra concebida de forma brilhante, perfeita para os amantes de história. 


Até Breve e… Boas Leituras!!!

domingo, 7 de janeiro de 2018

Sobre o Amor - Review



Sobre o Amor
Autor: Daniel Oliveira
Editora: Oficina do Livro
1ª Edição 


Sobre o Amor é o mais recente romance de Daniel Oliveira, publicado em Novembro de 2017.
A história conta o encontro acidental entre a hospedeira de bordo Luso-italiana, Paola, e o escritor de novelas português, Frederico. 
Frederico encontra-se numa má fase da carreira e Paola pretende dar uma volta de 180º à sua vida. Perseguidos pelos fantasmas de amores antigos e envoltos nos seus dilemas pessoais, haverá nas suas vidas lugar para o amor?


Opinião
Quando nos deparamos com um livro cujo autor é Daniel Oliveira, criamos na nossa mente, uma alta espectativa . Esperamos uma obra profunda, comovente e divertida ao mesmo tempo. Esperamos aquilo a que já nos habituou nas suas entrevistas, na televisão.

A história deste livro é contada a partir da perspetiva dos seus dois intervenientes, o que torna tudo muito mais interessante e realista. O amor é uma história da qual nunca há apenas uma única versão.  "Ainda que duas pessoas tenham visto algo idêntico e em simultâneo, as suas memórias serão sempre diversas." (pag. 117)

O romance está, também, carregado de sensualidade e erotismo, descritos com mestria poética. "Uma mulher despida e amada sobre os lençóis é um poema lido e sublinhado." (pag. 211) Uma leitura apimentada na medida certa.

Durante todo o decorrer da ação somos deparados com o fatalismo de Frederico, o qual Paola acusa de ser tipicamente português.  Por sua vez, Paola demonstra a vontade de se libertar da sua atual vida e  recomeçar tudo do zero. "Nós somos o que fazemos e o que fazemos é o que devemos querer ser." (pag. 64)
Desistimos tantas vezes de experimentar algo que nos poderia fazer tão bem, apenas por medo. Medo de nos magoarmos, medo de perdermos o controlo dum futuro que planeámos. Valerá apena cortar pela raiz um amor que começa a nascer, apenas porque sai da nossa zona de conforto? Frederico não acredita nisso. Para ele o amor é "(…) como o vento. (…) Só conhecemos o vento pelo efeito, não  pelo que é." (pag. 48)

Muito mais do que um encontro acidental entre dois jovens, é o reencontro de cada um deles com a vida.  Muito mais do que duas noites de entrega carnal e duas manhãs sem despedidas, "Sobre o Amor" é um mergulho nas relações humanas, nos encontros e desencontros da vida. É um viajar pelos desígnios desse destino que nos apresenta e nos separa , nos dá tão depressa como nos tira. "Sobre o Amor" é um livro recheado de humanidade nas suas mais diversas vertentes.  A dor de cada um é única e não carece da compreensão alheia para o ser.


Até breve e ... Boas Leituras!


segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Cinzas de um Novo Mundo - review






Cinzas de um Novo Mundo
Colecção: Via Láctea
Autor: Rafael Loureiro
Editora Presença
1ª Edição 








O mais recente livro do escritor Rafael Loureiro intitula-se Cinzas de um Novo Mundo. 
O enredo da história desenrola-se num Portugal futurista, envolto em poluição, onde tudo é diferente do que hoje conhecemos.
A capital do estado, Lisboa,  encontra-se dividida em 3 zonas, com privilégios e condições de vida diferentes.
Os Tecnal, humanos com implantes mecânicos, vivem nas sombras, mandados caçar pelos seus próprios criadores, e dependentes da droga Hipnos para sobreviver.
É neste mundo doente e sem esperança que surge um herói, Filipe. O agente da lei terá de lutar contra o sistema corrupto e acima de tudo contra o que durante toda a vida acreditou ser correto.

Opinião:
Adorei. Uma leitura incrível que me prendeu do início ao fim. Um tema muito interessante, personagens  incrivelmente bem construídas e um enredo consistentes.
Os seres Nocturnus continuam presentes neste livro, mas a sua participação remete-os apenas a peculiares  agentes do destino, a mão de um Deus silencioso. 
Este livro abrange, assim, não só um novo público voltado para a ficção científica, como também os já fãs da trilogia Nocturnus.
No final desta leitura, dei por mim a pensar em como todos nós temos os nossos próprios demónios pessoais com que lidar, e  julgar os outros é assim o ato mais hipócrita que podemos cometer. O bem e o mal existe dentro de todos nós e cabe a cada um escolher o seu próprio caminho, percorre-lo, cair nos buracos que encontrar e, por vezes, retroceder e recomeçar tudo de novo.

Muitos parabéns ao Rafael e desejos  de muito sucesso.

  
Até Breve e… Boas Leituras!!!


Mais informações:





domingo, 22 de outubro de 2017

Um Milionário em Lisboa - Review





Um Milionário em Lisboa

Autor: José Rodrigues dos Santos
Editora Gradiva
12ª Edição 


Sinopse

Um Milionário em Lisboa é a continuação da história começada em O Homem de Constantinopla.
O livro está dividido em três partes.
A Parte Um, intitula-se "Horrores" e  a sua acção começa com Kaloust Sarkisian, o protagonista, a viver em Londres com a mulher e o filho e prestes a fechar o negócio do século.
Entretanto,  enquanto o pai prepara a sua entrada para a petrolífera Turca, que o tornará um dos homens mais ricos do mundo, Krikor, o filho, apenas consegue pensar em Marjan, a bela Arménia por quem se apaixonara. Assim, Krikor parte para a Turquia, às escondidas do pai e com a ameaça de uma guerra mundial eminente pairando no ar.
Por esta altura, os Turcos iniciam a matança generalizada de todos os homens Arménios e a deportação das mulheres, crianças e velhos. Krikor, devido às suas origens Arménias, vê-se forçado a disfarçar-se de mulher e seguir com as mulheres da família da sua amada. Porém, a suposta deportação das mulheres não passa de um estratagema dos Turco para matá-las.

A Parte Dois intitula-se " Beleza"  e começa 5 anos após o final da 1ª Guerra Mundial.
Krikor, conseguiu fugir da "Marcha da Morte", na Turquia, mas perdeu lá Marjan. A sua culpa por não ter sido capaz de a proteger vive como uma doença maligna no peito.
Após os terrores da guerra, muito mudou na vida das pessoas. A visão do mundo tornou-se mais relativa. A arte foi uma das que mais mudou, sendo o seu próprio conceito posto em causa. Afinal, o que é a arte?
É também nesta parte que começa a segunda guerra mundial. Kalous vê-se declarado inimigo pela Grã-Bretanha e o seu estatuto na diplomacia iraniana já não lhe confere mais protecção. Há que fugir de França, mas para onde? É Krikor quem dá a brilhante ideia… Lisboa.

A terceira e última parte, intitula-se "Exílio" e descreve a estadia, carregada de peripécias, do homem mais rico do mundo em Portugal.


Opinião

Uma obra genial. Absolutamente arrebatadora na sua simplicidade de narração.  Captura o leitor desde a primeira frase, deixando-o refém de cada  próxima página.
Constituída por três parte absolutamente  diferentes. A primeira envolveu-me de tal forma que terminei a chorar copiosamente . O autor é capaz de nos apresentar personagens às quais ganhamos  estima. No momento seguinte, entrega-as de forma crua e sem arabescos literários às mãos desumanas e brutais que lhe fazem as maiores barbaridades.
Na minha opinião, a segunda parte é mais bucólica e enfadonha. Uma transição demasiado brusca entre a acção alucinante da fuga de Krikor, na primeira parte, para a estadia da família Sarkisian em diversos hotéis de luxo, as artimanhas diplomáticas e financeiras do velho kaloust.
A terceira parte, retoma um pouco o ritmo mais animado, ao descrever de forma bastante cómica diversos episódios da estadia de Kaloust em Portugal.  O multimilionário apresentado na sua forma mais humana, velho e com a saúde comprometida, mas com a mesma casmurrice que o tornara o homem mais rico do mundo.
Este livro não para de surpreender até à ultima linha. No epílogo somos, levados a questionar-nos, de uma forma bastante emotiva, sobre o que é a beleza. A pergunta fica no ar e cada leitor terá a sua própria resposta a dar.


Até Breve e.... Boas Leituras!


Mais informações:


quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Um Milionário em Lisboa - Estou em Choque!!!



Queridos Leitores de Meia Noite,

Estou a ler "Um Milionário em Lisboa" de José Rodrigues dos Santos. Fui obrigada a parar a leitura, respirar fundo e escrever-vos este post. Ainda não passei da página 99 (de 665) e já me encontro em estado de choque.

Trata-se do segundo livro inspirado na vida do multimilionário arménio, Calouste Gulbenkian, e a ação começa em paralelo com o desencadear da primeira guerra mundial. 
Krikor, o filho do protagonista, movido pela insanidade da paixão juvenil, parte para a Turquia. E lá, pelos olhos do jovem, é-nos apresentado o horror pelo qual muitas famílias cristãs passaram. Soldados Turcos entrando pelas casas a meio da noite e levando os homens com eles. Mulheres, velhos e crianças são deixados desamparados sem saber o paradeiro dos seus homens. O terror e a angustia vai piorando com a chegada de notícias não confirmadas, que dão conta de execuções em massa.
Por momentos, senti-me como se estivesse lá. Um aperto profundo no coração pois, apesar de se tratar de uma obra de ficção, retrata uma realidade muito dura. Não podemos esquecer as barbaridades cometidas no passado, porque o futuro é incerto e a mente humana é diabólica.

Separei um trecho representativo para vos mostrar: 

"O curdo disse que viu os turcos  trazerem revoadas de homens e mandá-los sentarem-se  à beira do rio. Deram-lhes ordens para rezar e depois atacaram-nos com foices, machados e martelos. (…) Temos que encarar os factos, prima. Eles estão a matá-los a todos."

Dentro em breve, trago-vos um novo update desta história arrebatadora.

Até breve e… Boas Leituras!!!